Benefícios da Aromatepia

 

Todos nós somos diferentes em vários aspectos, e temos um caminho a percorrer nesta jornada. Sendo que cada um de nós, dentro do “seu projeto de vida” é parte importante para o todo, para a evolução da humanidade, dentro da visão holística.

Arquétipo é um conceito utilizado em estudos como a filosofia, psicologia, psicanálise, e também é usado como base na análise da personalidade em algumas terapias complementares.   

Esses estudos definem uma melhor percepção para os profissionais das áreas da saúde e terapias complementares, que visam proporcionar uma qualidade de vida melhor aos seus pacientes/clientes.

 

Segundo Carl Gustav Jung, criador deste termo, arquétipo é um conjunto de imagens existentes no inconsciente coletivo da humanidade, que se projetam em diversos aspectos da vida humana.

 

Esses arquétipos teriam origem de uma constante repetição de uma mesma experiência, durante muitas gerações.

Podemos nos identificar em momentos diferentes, mais com um arquétipo do que com outro, isso é normal. Mas quando falamos em “mãe”, pensamos na imagem da cuidadora, a provedora da vida, a protetora, entre tantas outras características comuns a muitas mães que conhecemos.

Os arquétipos servem para refletirmos, pois somos mutantes. Em cada situação de nossas vidas, buscamos nos aproximar de determinadas posturas e adotar comportamentos adequados ao contexto em que estamos.

Os arquétipos podem ser apresentados de diversas formas: imagens, símbolos, sons, cheiros e comportamentos.

Essa associação com os arquétipos produz um estímulo automático e isso remeterá a uma conexão que é chamada de Neuroassociação, e isso acontece o tempo todo nas nossas vidas.

Reforçando que os arquétipos não correspondem, necessariamente, à complexidade da personalidade dos sujeitos.  Por isso, é possível encontrar mais de um arquétipo para uma mesma pessoa.

Várias terapias fazem uso do arquétipo com a finalidade de utilizar tratamentos que possam ser funcionais, sem que se envolva muito tempo de análise do comportamento da pessoa para chegar a um diagnóstico.

A Aromatologia que é a ciência que estuda os óleos essenciais e matérias aromáticas em variadas práticas, engloba seu uso terapêutico através da Aromaterapia, e em outros segmentos como gastronomia, psicologia, cosmética, perfumaria.

 

A Aromaterapia é uma prática terapêutica que se utiliza das propriedades dos óleos essenciais retirados das plantas, para restabelecer o equilíbrio e a harmonia física, emocional, mental e espiritual.

 

Os Óleos podem ser utilizados de várias maneiras: inalação, réchaud, massagem, banhos aromáticos, colares aromáticos, escalda-pés, algumas gotas no travesseiro ou na roupa de cama, spray, compressas.

Vale lembrar que a compra dos óleos deve ser feita seguindo alguns cuidados: em farmácias homeopáticas, lojas e sites especializados. É muito importante saber se o produto tem boa procedência. Alguns óleos não podem ser utilizados diretamente na pele por risco de alergias, podendo até queimar a pele devido à sua grande concentração das substâncias contidas na planta. Para que não ocorra nenhum problema, pode-se utilizar os óleos carreadores ou vegetais para diluí-los: óleo de amêndoas, de semente de girassol, de semente de uva, de gérmen de trigo, de abacate, de copaíba. O mesmo cuidado deve ser mantido na compra. Importante: a essência não contém as propriedades do óleo essencial, normalmente são mais diluídas (as de boa procedência), ou feitas com aromatizadores artificiais. Podem ser utilizadas em réchaud, e em alguns casos se forem de boa qualidade, nos banhos aromáticos. Nunca diretamente sobre a pele.

 

Abaixo alguns exemplos para o uso em Aromaterapia:

 

 

Alecrim, arquétipo do CRIATIVO: Pessoas que falam, agem e criam a partir de muita reflexão. Costumam ter a mente inquieta em busca de respostas e não se contentam quando as encontram: procuram novas perguntas que as motivem a continuar pensando em coisas novas. O Alecrim auxilia na concentração e na memória, promove ânimo e alegria. Bom para estudos e trabalhos que exigem concentração.

 

 

Petitgrain, arquétipo da AMIZADE: 
Pessoas que olham nos olhos enquanto conversam, que valorizam os amigos como familiares. Entre amigos verdadeiros, o silêncio não incomoda, as palavras sinceras também não. Amigos podem estar distantes no tempo e no espaço mas mantém a mesma ternura quando se reencontram. Assim é o Petitgrain: aproxima as pessoas, reduz a ansiedade e promove a tranquilidade de um encontro com os amigos.

 

 

Canela, arquétipo do CONCILIADOR: 
Brigas em família geralmente faz com que as relações esfriem. Ninguém mais se olha nos olhos por um período de tempo que parece eterno. Os conciliadores são como a Canela, que ajuda a quebrar a mágoa, aquece os sentimentos frios e mesquinhos, promove o exercício da flexibilidade e traz compreensão para os motivos que levaram ao estado de raiva. Essas pessoas são iluminadas por conseguirem mostrar os erros sem que haja desconforto, buscando resolver os problemas com amor no coração.

 

 

Gerânio, arquétipo do GUERREIRO: 
Pessoas batalhadoras, esforçadas, que não se deixam abater pelos desafios cotidianos. Assim como o Gerânio, essas pessoas não deixam de produzir flores mesmo quando estão abatidas. O Gerânio promove autoconfiança, coragem, atitude, dedicação para fazer aquilo que a alma julga necessário. Pode ser útil para pessoas que têm medo de falar em público.

 

 

 

Hortelã, arquétipo do HIPERATIVO: 
Pessoas hiperativas costumam pensar em muitas coisas ao mesmo tempo mas sofrem por não conseguirem ter a mente calma. Prestam atenção em tudo ao seu redor e se frustram quando não conseguem fazer com que o corpo acompanhe o ritmo de seus pensamentos. A Hortelã clareia e organiza as idéias, colocando uma ordem de prioridades nessa imensidão de informações. Para quem precisa ficar mais desperto e concentrado, a Hortelã é uma das melhores escolhas.

 

 

Jasmim, arquétipo do PRÁTICO: 
Pessoas que gostam de se sentir sempre no comando das ações, que são organizadas e prezam por manter uma imagem daquele que “resolve os problemas práticos”. O Prático não procura saber quem é o culpado: ele prefere consertar as situações assim que elas aparecem. O Jasmim pode ajudar as pessoas que não se sentem preparadas para lidar com situações que possam mexer com emoções.

 

 

Rosa, arquétipo da RAINHA: 
A mulher firme e feminina, protetora e sensível aos problemas que afligem os corações dos outros. A Rainha pode deixar às vezes de cuidar de si para garantir o bem estar de quem tem necessidade. A Rosa ajuda a reencontrar a feminilidade da Rainha, seu amor-próprio e vencer seus medos e inseguranças para promover harmonia e confiança. A Rosa é a Rainha dos Óleos Essenciais.

 

 

Sândalo, arquétipo do REI: 
Homens experientes, que já aprenderam com a vida a hora certa de falar e de calar. Reconhecem o ritmo dos acontecimentos e sabem tomar decisões justas. São capazes de perdoar e não se preocupa com o que os outros possam dizer de suas ações. Tem uma visão clara das situações por possuírem uma luz interior guiada pela sabedoria. O Sândalo é o Rei dos Óleos Essenciais.

 

 

Cedro, arquétipo do PAI INTERIOR:
Pessoas que tiveram um bom pai como exemplo sabem encontrar a força e a segurança de seu Pai Interior. São capazes de sentir o abraço de conforto em momentos de insegurança. O Cedro resiste ao tempo, é forte e poderoso. Nenhuma tempestade é suficientemente grande para causar temor de enfrentá-la.

 

 

 

Mandarina Verde, arquétipo da CRIANÇA INTERIOR:
Sentir o aroma da Laranja Doce e não se lembrar da infância é difícil, pois é um cheiro presente em quase todas as casas brasileiras. Mas a Mandarina Verde tem a particularidade de ter sido colhida na infância da fruta, por isso traz muitas energias e esperanças de um futuro feliz. Essa é a Criança Interior: manter vivas as esperanças de dias melhores e de ser feliz desde o presente momento.

 

 

Lavanda, arquétipo do EQUILÍBRIO:

Um coração em paz e harmonia, tranquilo e equilibrado, sem ansiedade ou tensão, sem medos ou pesadelos. O Equilíbrio não é uma pessoa que podemos tomar como modelo, é um estado de espírito. A Lavanda alinha os chacras e restabelece o equilíbrio, promove a paz interior e tranquiliza qualquer pensamento ou emoção que não esteja em perfeita harmonia com o Universo.

 

 

Erva-doce, arquétipo da TERNURA: 
Pessoas carinhosas e afetuosas reconhecem que a vida pode ser melhor quando o amargo se torna doce. As palavras duras de serem digeridas podem ser tóxicas assim como uma comida indigesta. As palavras da Ternura são suaves e trazem o aconchego de um abraço de avó. Momentos difíceis da vida podem fazer com que o organismo fique intoxicado, mas a ternura e a Erva-Doce são capazes de desintoxicar o corpo e a alma com sua doçura.

 

 

Cipreste, arquétipo da TRANSIÇÃO: 
Saber lidar com as perdas de amigos e entes queridos é um desafio assim como enfrentar situações de Transição em que o futuro parece incerto e o presente não permite enxergar muitas oportunidades. O Cipreste pode curvar-se com o vento das tempestades, mas dificilmente é arrancado pelas raízes pois sabe que o tempo muda e em breve vem a calmaria. A Transição não é um comportamento humano, mas uma fase passageira à qual estamos sujeitos em vários momentos de nossas vidas. Por isso, vale lembrar que os problemas não podem ser tão grandes que não tenham sua hora certa para terminarem.

 

 

 

Dicas de como usar os óleos essenciais:

 

Massagem

Escolha o óleo vegetal ou creme de massagem,  e o óleo essencial de acordo com a finalidade desejada, pode fazer combinações de até 3 óleos essenciais.

Para 30 ml (3 colheres de sopa) de óleo vegetal, adicionar até 20 gotas de óleo essencial.

 

Banho de Imersão (Banheira)

1 colher (sopa) de óleo vegetal, adicionar de 5 a 10 gotas de óleo essencial. Pode-se misturar até 3 tipos de óleos essenciais.

 

Compressas

Pingar de 5 a 6 gotas de óleo essencial em 1 litro de água quente ou fria dependendo do caso.

 

Inalações

Colocar de 3 a 5 gotas de óleo essencial em um recipiente com água quente, cobrir a cabeça com uma toalha e fechar ou proteger os olhos com uma máscara apropriada. Inalar o vapor por alguns minutos.

 

Aromatização de ambientes

Aromatizadores elétricos, “Rechauds” cerâmico com vela: coloque um pouco de água e pingue de 10 a 20 gotas de um mesmo óleo essencial ou até 3 no total.

 

Spray de ambientes

No Spray (pulverizador de plantas) coloque 3 colheres de sopa de álcool (se tiver de cereais melhor) para diluir, e adicione até 120 gotas dos óleos essenciais desejados e complete com água, agitar muito bem antes de usar.

 

Banho de Chuveiro

Pingar até 5 gotas do óleo essencial no canto do box do chuveiro e inalar durante o banho.

Em um recipiente pingar até 5 gotas de óleo essencial que não irritam a pele, completar com água do chuveiro e jogar no corpo.

 

Escalda-Pés

Diluir 6 gotas do óleo essencial em 1 colher (chá) de óleo vegetal ou álcool de cereais.

Adicionar em 4 litros da água quente no inverno e água fresca no verão.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Please reload

últimas postagens

17/9/2018

21/8/2018

Please reload

Busca por Tags
Please reload

Siga o André Mantovanni
  • Facebook Classic
  • Instagram Social Icon
  • YouTube Social  Icon